Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Governo não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro”
Mercês Borges lamentou a apatia de um executivo que, além de não dar resposta às necessidades das empresas, deixa pairar a ameaça de uma revisão das leis laborais.
No debate de iniciativas que visam alterar a Legislação Laboral, Mercês Borges começou por recordar que esta é uma matéria que tem reflexos na vida de todos. De acordo com a deputada “a legislação laboral é relevante para os que pensam e planeiam os seus investimentos e enquadra as obrigações e direitos dos que criam emprego e dos trabalhadores que neles exercem o seu labor e saber. Trata-se, portanto, de uma legislação transversal à atividade do país, determinante para investidores nacionais e estrangeiros acreditarem que Portugal vale a pena”.
Foi nesse sentido, adianta a deputada, que o PSD, com humildade democrática, mas com sentido de Estado e de serviço aos Portugueses, assumiu o trabalho de resgatar o país. “Fiéis aos princípios da concertação social, sempre discutimos os necessários ajustamentos à legislação laboral com os parceiros sociais, que no terreno teriam de os aplicar. Foram feitas alterações à Legislação Laboral, mas com um enorme respeito pela concertação social, onde os Parceiros Sociais, numa altura tão difícil para o nosso País, tiveram a capacidade de obter compromissos equilibrados para os trabalhadores e para os empregadores, assegurando, desse modo, o necessário clima de paz e coesão sociais”.
O resultado dessas reformas em parceira com os Parceiros Sociais, revela Mercês Borges, está à vista, com a economia a recuperar e com ela o emprego. “Lamentavelmente, o atual governo, não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro. Mais, além de tolher o desenvolvimento das empresas com falta de profissionais qualificados, antes, deixa pairar a ameaça de uma revisão laboral que mal se percebe, senão pelo facto de o governo tudo sacrificar para se manter no poder e de estar refém de partidos com uma visão passadista que só sabem protestar e reivindicar. É bem ilustrativo que com esta forma de proceder, o PCP não quer discutir e consensualizar soluções, antes quer a rua e revoluções”.
Perante esta postura dos comunistas, Mercês Borges é perentória em enfatizar que “a paz social pode estar em risco quando alguns partidos decidem alterar o quadro normativo do trabalho sem respeito pela concertação social e pelo Tripartismo representado nesse órgão e quando o Governo, não assume, como devia, o papel de árbitro social”.
Depois de destacar a importância da Concertação Social, a parlamentar referiu que “temos de privilegiar a estabilidade das regras que enquadram o trabalho, embora as tenhamos que ir ajustando, para melhor dar resposta aos desafios de hoje e do futuro. O futuro cumpre-se com trabalhadores e empregadores devidamente qualificados e capazes de responder aos constantes desafios que a evolução científica e tecnológica coloca à economia. Temos que adaptar os «curricula» das escolas e os perfis e conteúdos de formação das entidades formadoras, públicas e privadas, às novas realidades e aproveitar as verbas comunitárias. Temos de tornar acessíveis os princípios da indústria 4.0 e preparar os recursos humanos que dispomos para responder a estes desafios. Temos os melhores trabalhadores e os melhores jovens. Mas temos que os preparar para uma nova realidade”.
A terminar, Mercês Borges frisou que “o PSD defende uma discussão sem sobressaltos, sem atropelos, com reflexão, estudo e transmitindo aos agentes económicos que prezamos o diálogo, a concertação, a estabilidade evolutiva e a preparação de um país melhor, mais justo, próspero e capaz de redistribuir a riqueza com equidade”.

14-03-2018 Partilhar Recomendar
11-04-2018
Governo e os partidos de esquerda estão em estado de gestão de eleições e de eleitorado
    Clara Marques Mendes apelou ao executivo e aos partidos que o suportam para que coloquem os interesses dos portugueses à frente dos seus interesses eleitorais.
11-04-2018
O PS não tem um propósito para o país e deixou-se levar pela esquerda-radical
    Carlos Barros considera que temos “um governo tóxico para o país”.
11-04-2018
“Bloco não tem a mínima preocupação com a sustentabilidade da Segurança Social nem com os futuros pensionistas”
    Mercês Borges condenou a postura do “tudo para alguns já, para os outros logo se verá”.
11-04-2018
Susana Lamas acusa o BE de “encenação e populismo”
    Na base da acusação estão os “exercícios de equilibrismo” dos bloquistas em torno do regime de reformas antecipadas.
22-03-2018
Com este governo assistimos a muitos anúncios e pouca concretização
    Nilza de Sena considera que essa concretização é crucial para que Portugal não continue a ter o quinto crescimento mais baixo da Europa.
22-03-2018
Crescimento económico: continuamos na cauda da União Europeia
    Paulo Neves confrontou a euforia dos socialistas com a realidade dos números.
14-03-2018
Legislação Laboral: as leis em vigor são boas
    Adão Silva questionou se ainda vamos ver o PCP na rua a gritar: “a luta continua, governo para a rua”.
14-03-2018
Legislação Laboral: Pedro Roque apela ao sentido de responsabilidade do PS
    O social-democrata alertou para os riscos de uma cedência dos socialistas à agenda da esquerda-radical.
14-03-2018
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
    A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
14-03-2018
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
    A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas